Será que teremos um segundo “NÃO” de Bob Dylan?

A 15 dias da cerimônia do Nobel de Literatura, no dia 10 de dezembro, em Estocolmo (Suécia), o cantor, compositor e escritor Bob Dylan ainda não se pronunciou sobre a palestra que deve oferecer à Fundação Nobel pelo recebimento da honraria. Essa é a única condição imposta pela premiação para que o vitorioso leve os R$ 2,9 milhões (900 dólares) destinados a todo o agraciado. Bob Dylan tem até seis meses, após o dia 10 de dezembro, para fazer a sua apresentação. Normalmente, os escritores fazem uma palestra sobre literatura, porém, Dylan poderá optar por um pocket show. Caso ele se recuse, não receberá o prêmio em dinheiro, entretanto, continuará com o título de vencedor do Nobel de Literatura em 2016.

 Sim, os assessores do cantor divulgaram que ele não participará da cerimônia. Resta, agora, saber qual será a posição dele quanto a esse protocolo, o que já causa curiosidade considerando a postura de Dylan. Ele se negou a receber outros prêmios e parece avesso a convenções. Ainda assim, não há dúvidas sobre o merecimento de Dylan quanto à premiação.

Ainda que em um primeiro momento a indicação tenha parecido polêmica, o compositor tem vasta produção literária. Além do lirismo de suas letras, escreveu 29 livros, desde o lançamento do primeiro em 1965. No Brasil, há quatro traduzidos: Tarântula – Poesias Experimentais, Crônicas – Vol. 1, Forever Young e O Homem que Deu Nome a Todos os Bichos.