Será que teremos um segundo “NÃO” de Bob Dylan?

A 15 dias da cerimônia do Nobel de Literatura, no dia 10 de dezembro, em Estocolmo (Suécia), o cantor, compositor e escritor Bob Dylan ainda não se pronunciou sobre a palestra que deve oferecer à Fundação Nobel pelo recebimento da honraria. Essa é a única condição imposta pela premiação para que o vitorioso leve os R$ 2,9 milhões (900 dólares) destinados a todo o agraciado. Bob Dylan tem até seis meses, após o dia 10 de dezembro, para fazer a sua apresentação. Normalmente, os escritores fazem uma palestra sobre literatura, porém, Dylan poderá optar por um pocket show. Caso ele se recuse, não receberá o prêmio em dinheiro, entretanto, continuará com o título de vencedor do Nobel de Literatura em 2016.

 Sim, os assessores do cantor divulgaram que ele não participará da cerimônia. Resta, agora, saber qual será a posição dele quanto a esse protocolo, o que já causa curiosidade considerando a postura de Dylan. Ele se negou a receber outros prêmios e parece avesso a convenções. Ainda assim, não há dúvidas sobre o merecimento de Dylan quanto à premiação.

Ainda que em um primeiro momento a indicação tenha parecido polêmica, o compositor tem vasta produção literária. Além do lirismo de suas letras, escreveu 29 livros, desde o lançamento do primeiro em 1965. No Brasil, há quatro traduzidos: Tarântula – Poesias Experimentais, Crônicas – Vol. 1, Forever Young e O Homem que Deu Nome a Todos os Bichos.

Conheça projetos que distribuem livros no metrô

 

Você deve ter acompanhado a notícia de que a atriz Emma Watson (a personagem Hermione dos filmes Harry Potter) escondeu, na semana passada, 100 unidades do livro Mom and Me and Mom, de Maya Angelou, em diferentes estações de metrô, em Londres. O objetivo foi intensificar a divulgação, de forma lúdica, da literatura clássica e contemporânea feminista. O que nem todos sabem é que a iniciativa fazia parte de um projeto ainda maior, o Books on the Underground, criado em Londres em 2012.

A intenção de o Books on the Underground é formar novos leitores e incentivar a leitura, deixando livros espalhados pelas estações de metrô da cidade inglesa. Para viabilizar a ação, contam com a parceria de editoras, produtores de filmes e escritores. Deu tão certo que a ideia inspirou outros países a fazerem o mesmo.

Um ano após o lançamento do projeto inglês, surgiu o Books on the Subway, em Nova York. E aí o efeito dominó se deu: em 2014 Books on the L, em Chicago, e também o Books on the Metro, em Washington. No ano seguinte, Books on the Rail, em Sydney, Australia. Por enquanto, aqui nada, mas fica a dica para termos cada vez mais gente lendo.

NOVIDADE: lançamento de e-commerce dos livros no blog. Veja como será!

post-2

A partir de hoje, o blog “Tem Mais Gente Lendo” disponibilizará e-commerce dos livros que indica nos posts. A ferramenta tem dupla função: facilitará a vida dos seguidores e também ajudará o blog a se manter vivo e atualizado, sempre com informações e dicas novas para os seguidores.

O funcionamento do e-commerce é bem simples. Você só precisará clicar no link do post e será direcionado para a página do e-commerce. Lá você encontrará as informações do livro e da compra. Os preços praticados serão os mesmos encontrados em outras livrarias virtuais, com a vantagem de que no nosso blog, você comprará a melhor edição e tradução do livro em questão, selecionada especialmente pelos nossos colaboradores e especialistas na área. Assim, garantimos que terá sempre mais gente lendo, a melhor versão das obras, e continuaremos a incentivar a formação de mais e novos leitores no Brasil.